Acontece nos Fóruns

São João Del Rei sedia Feira Regional de Economia Popular Solidária do Campo das Vertentes

Está prevista a participação de mais de 30 empreendedores de 18 municípios

Imagem ilustrativa

A Feira Regional da Economia Popular Solidária do Campo das Vertentes está marcada para os dias 27 e 28 de maio, na Praça do Coreto, em São João Del Rei. A abertura oficial será no dia 27, às 10 horas, com a presença do prefeito Helvécio Luiz Reis e do diretor de comercialização e empreendedorismo da Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese), José Ribeiro.

“O movimento de economia solidária é muito organizado e articulado e, há muito tempo, reivindica do Governo do Estado mais apoio para os empreendimentos para que possam potencializar suas vendas. Agora o Estado está apoiando essas feiras, apoiará as feiras permanentes com entrega de barracas e ainda prestará assessoramento aos empreendimentos. Isso faz parte da política que o governo está implantando de apoio a essa modalidade de geração de renda”, informa o subsecretário de Trabalho e Emprego, Antônio Lambertucci.

A expectativa é positiva. “É uma cidade histórica, turística e teremos o feriado de Corpus Christi, com a montagem dos tradicionais tapetes de serragem bem próximo à feira”, explica o secretário executivo do Fórum Regional de Economia Solidária do Campo das Vertentes, Jorge Luiz Fernandes Morais.
A feira terá 30 barracas para comercialização dos produtos da economia popular solidária (EPS) e a estrutura conta ainda com palco, sonorização de ambiente, iluminação, segurança particular, banheiros químicos e limpeza diária.

Está prevista a participação de mais de 30 empreendedores de 18 municípios: Antonio Carlos, Barbacena, Barroso, Catas Altas da Noruega, Cipotânia, Congonhas, Conselheiro Lafaiete, Coronel Xavier Chaves, Desterro do Melo, Lagoa Dourada, Lavras, Mariana (Distrito de Bento Rodrigues) Prados, Ressaquinha, Santa Bárbara do Tegúrio, Santa Cruz de Minas, São João Del Rei e Tiradentes.

Serão comercializados artesanato em madeira, pequenos e grandes objetos, em tecido, com a utilização do famoso ponto abrolhos (ponto de acabamento) e material reciclável; outro destaque são os produtos agroecológicos, entre eles queijo e café; roscas, biscoitos e o famoso rocambole de Lagoa Dourada.
A comunidade de Bento Rodrigues (Mariana), devastada pela lama de rejeitos da Samarco, estará presente com a geleia de pimenta biquinho. Do município de Santa Bárbara do Túgurio virão produtos feitos a partir da banana: farinha, banana passa, chips e cachaça.

No palco, manifestações culturais locais se apresentam. Na sexta (27), a partir das 11 horas tem a dupla sertaneja Jorge e Bruno, e à noite tem teatro e música com o Coletivo de Mulheres Carcará. Já no sábado (28), a manhã começa com batucada, ao som do ritmo dos tambores do Grupo de Inculturação Afrodescendente Raízes da Terra.

Para os empreendedores, serão realizadas oficinas. A primeira acontece na sexta e tratará dos conceitos e princípios da economia solidária e será ministrada por técnico da Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares da Universidade Federal de São Del Rei (UFSJ). Mais três oficinas serão ministradas ao longo dos dois dias.

Até agora foram realizadas feiras em Governador Valadares (Território do Rio Doce), Poços de Caldas (Sul de Minas), Uberlândia (Triângulo), Juiz de Fora (Zona da Mata) Teófilo Otoni (Vale do Mucuri), Montes Claros (Norte de Minas), em Diamantina (Vale do Jequitinhonha), em Conselheiro Lafaiete (Médio Piracicaba) e Paracatu (Noroeste de Minas).

Ao todo, são 10 feiras regionais e uma estadual (veja quadro). Elas são organizadas pela Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese), em parceria com o Fórum Mineiro da Economia Popular Solidária, Conselho Estadual da Economia Popular Solidária e Prefeituras Municipais.

O Governo de Minas Gerais, por meio da Sedese, está investindo R$ 307.229 mil, na organização, estruturação e montagem das feiras. A iniciativa está prevista no Plano Estadual da EPS e no Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG) e integra o Programa de Consolidação da Política da Economia Solidária da Sedese.